Uma aula poderosa e transformadora de Prosperidade do grande Lair Ribeiro

O grande mestre Lair Ribeiro, nos concede abaixo, uma lição incrível que vai transformar seu entendimento de vida, valores e riqueza.
Não deixe de ler e de compartilhar com as pessoas que desejam crescer pessoal e profissionalmente.
Esta aula de vida, é poderosa e transformadora.

São duas horas da manhã. Você acorda com o telefone tocando. A primeira reação de Você é não atender. Deve ser engano, como das últimas três vezes — pensa. O tocar silencia por alguns instantes e recomeça, insistente.

Você se levanta procurando pelos chinelos que tinha deixado nos pés da cama. Acha um pé, mas não o outro. Corre para o telefone na sala e atende.

– Alô! Você falando.

– Alô! Aqui é tia Maria.

– Olá, tia. Tudo bem? Algum problema?

– Infelizmente sim, meu querido. O seu pai foi levado para o hospital com diagnóstico de infarto. Ele está agora na Unidade Coronariana e pediu que você fosse vê-lo.

– Está bem, tia, estou indo já. Beijos.

Você põe o telefone no gancho, veste a primeira roupa que acha e, após despedir-se da mulher que continua sonolenta, sai correndo, procurando por um táxi. Por uma coincidência, ou talvez sincronicidade, Você encontra um táxi na primeira esquina. Entra e pede para ser levado ao Hospital. Na sua mente passa flashes de momentos tristes (muitos) e alegres (poucos) que conviveu com o pai.

Riqueza, como a árvore, cresce de uma pequena semente.

Você gostaria de ficar em silêncio, mas o motorista está ávido por um bate-papo e começa a falar sobre um livro que acabou de ler, o bestseller O Sucesso Não Ocorre por Acaso — o único livro na vida dele que ele tinha conseguido ler de capa a capa.

— Já leu esse livro? — pergunta-lhe.

Você responde que não, mas na realidade tinha lido, só que não queria muita conversa. O motorista começa então a descrever “a diferença que faz a diferença”, entre a pessoa sem sucesso e aquela bem-sucedida. Comenta quais os ingredientes necessários. Você faz de conta que está interessado no assunto, mas a sua mente está mesmo é no seu pai. Será que ele vai morrer?

Chegando ao hospital, você procura se informar sobre o estado do seu pai e, depois de muito insistir, consegue a oportunidade de entrar por alguns minutos na Unidade Coronariana e dizer-lhe um alô.

Você entra apreensivo, sem saber o que esperar. O pai deitado o vê chegar e, num ato de amor, pisca o olho e acena com a mão que está amarrada à cama por causa do soro que pinga na veia do braço. Você cumprimenta o pai, sentindo um sentimento de compaixão.

Você percebe que o seu relacionamento com o seu pai estava diferente, para melhor.

De repente, num passe de mágica, você se conscientiza de que, apesar de não ter gostado de muitas atitudes e comportamentos do seu pai quando criança, era o que seu pai tinha para oferecer na época. Ele não sabia o que ele não sabia.

Uma sensação forte de sabedoria tomou posse de você e um novo insight Surgiu na sua mente.

Você não pode mudar o que você não pode mudar. Você se conscientiza mais urna vez de que o poder está no presente. O passado já passou. O futuro ainda não chegou. Só existe o aqui-e-agora. O eterno agora!

Você abraça seu pai de urna forma toda especial. Com corpo e alma. Lágrimas escorrem dos olhos, lágrimas de cura. Olhando bem nos olhos do pai, Você balbucia quase sem poder verbalizar o que sentia no peito.

– Pai, eu o amo. Eu o perdôo por tudo o que o senhor me fez que não gostei, peço-lhe perdão por não ter entendido o seu amor e sou grato por sua existência.

Onde existe determinação, a solução será encontrada.

Dentro do seu cérebro circula palavras sábias de Vanguarda: Gratidão é a mãe de todos os outros sentimentos.

O pai, também com lágrimas nos olhos e sorrindo, responde com doçura:

– Eu também o amo, meu filho. Você foi, é e sempre será o orgulho de minha vida. Quando eu não estava presente na sua infância, era porque eu ganhava o pão que abastecia a nossa mesa. Quando você precisava da minha palavra amiga e eu não a proferia, o meu coração sangrava por não saber dizê-la. Apesar dos nossos olhos terem estado distante a maior parte do tempo, os nossos corações estão sempre juntos, brincando um com o outro. Você está sempre nos meus pensamentos. A sua imagem faz parte do meu pensar.

Os dois abraçados, chorando, recriando o passado, demonstram mais urna vez o poder do espírito humano. Milagre em ação. Transcendência em exercício. Um novo começo onde o Céu é o Limite.

A enfermeira se aproxima e, entendendo o momento, aguarda alguns minutos. Como se participasse também do processo, celebra com um sorriso o despertar de um novo relacionamento, fundamental na vida dos seres humanos.

Gentilmente, a enfermeira informa a Você que é chegada a hora de retirar-se da Unidade Coronariana. Você se despede do pai, entendendo que a Vida é uma seqüência de até-logos e olás, olás e até-logos. Caminha em direção à sala de espera, tira o maço de cigarros do bolso e, ao invés de retirar um cigarro do maço, joga o maço e o isqueiro na lata do lixo. Senta-se no sofá, refletindo nas transcendências que tinham acabado de ocorrer, e conclui:
– Vale a pena viver!!!

Nisto, surge um médico moreno, olhos castanhos-escuros, de meia-idade, comum sorriso que provoca covinhas no rosto e faz a face remoçar pelo menos dez anos quando sorri. O médico toca Você nos ombros e pelo toque, ou talvez pela energia que vem dele, Você sente que é o Vanguarda quem acaba de chegar, sem nunca ter ido!

Ele senta-se a seu lado e, com um jeito um tanto profissional, começa a conversar e lhe trazer novos insights.

– A vida é um constante aprender

– Os ensinamentos vêm nas mais variadas formas. No seu caso, foi preciso o seu pai ficar doente para você entender o seu amor por ele e o dele por você. Você também pode aprender com a experiência dos outros. Usar a experiência dos outros não só nos faz economizar tempo como também permite-nos saber antecipadamente o resultado. Um modo eficiente e eficaz de transmitir conhecimento é através de histórias. Por falar em histórias, eu gostaria de Lhe contar uma, que pode trazer uma profunda transformação à sua vida.

As palavras o envolvem completamente, num clima de revelação e mistério.

Se você quiser continuar colhendo ovos de ouro, cuide bem da galinha que os põe.

– Numa tribo do Haiti, onde se praticam cultos vodus, o pajé carrega com ele um crânio humano, uma caveira. Quando um membro da tribo é condenado à morte, o pajé, num ritual milenar, encosta a caveira na testa do condenado.

A partir do momento em que isto ocorre, o condenado pára de falar, perde a sede, a fome e o sono. Fica deprimido e morre em 72 horas. Até hoje, todas as pessoas da tribo que foram submetidas a esse processo morreram.

Há alguns anos, três professores da Universidade do Alabama, Estados Unidos, resolveram desafiar o ritual com a finalidade de demonstrar o poder das crenças na realidade do ser humano. Depois de muitas negociações e convencimentos, o pajé aceitou fazer o ritual com os professores, conquanto que eles assumissem total responsabilidade pelos resultados.

O ritual foi feito exatamente como é feito com os condenados. Dias depois, os professores voltaram para o seu país e publicaram um artigo sobre a experiência deles com o Vodu e seus praticantes.

Qual seria a mensagem que ele deixaria codificada na sua estrutura psicológica desta vez?

– Os membros da tribo morrem e os professores do Alabama não, simplesmente porque o sistema de crenças é diferente. O membro da tribo, desde o nascimento, foi exposto à idéia de morte, no caso de o pajé encostar a caveira em sua testa.

Este, percebendo o ambiente preparado, resolve então transferir para a sua mente a Mensagem das mensagens. Pausadamente, continuou a falar:

– Imagine você que o ser humano não precisasse morrer. Imagine que o ser humano tivesse sido criado para viver eternamente. Mas, como toda regra tem exceção, no começo, bem no começo da existência humana, as exceções foram ocorrendo, uma seguida da outra e da outra.

Imagine que os homens que presenciavam esses fatos, tal qual as crianças da tribo haitiana vendo as pessoas morrerem com o “toque mágico” do pajé, chegaram à conclusão de que a morte era inevitável para todos os seres humanos, fazendo parte integrante do viver.

Você continuava perplexo com tantos paradoxos e novos paradigmas, tudo isso comunicado metaforicamente, de uma forma elegante, ao mesmo tempo superficial e profunda.

– Imagine que você e todos nós, os seres humanos, na realidade possuímos a imortalidade física. O que ocorre é que ainda estamos todos hipnotizados com a morte e morremos para confirmação da crença que nos governa!

– Siga a linha do meu pensamento. O homem, sabendo que vai morrer, traz consigo o desejo inconsciente da morte. Esta sensação faz parte do seu viver 24 horas por dia. Para morrer, consome-se uma tremenda carga de energia vital.

Muitas pessoas, na plenitude da sua força, com uma idade onde conhecimento e sabedoria se somam, deixam de contribuir para o Universo pensando que a morte se aproxima. Veja o caso do seu pai, morrendo aos 66 anos, sem nenhuma visão de futuro.

O indivíduo, a sociedade ou a nação sem visão constituem um indivíduo, uma sociedade, uma nação em perigo.

Viva a sua vida de uma forma extraordinária! Tenha uma visão maior que o seu interesse individual.

Acredite na sua imortalidade física (enquanto viver!) e faça deste planeta um lugar melhor para aqueles que virão depois de você.

Ser pobre é diferente de não ter dinheiro.

Pobreza é um estado de espírito.

E a falta de dinheiro é uma situação temporária.

Ainda mais perplexo, você absorve como uma esponja tudo o que foi dito.

O conceito de Prosperidade adquire uma nova dimensão na sua mente.

– Tome de presente este embrulho violeta, amarrado com uma fita verde. Você desamarra, abre e, dentro do pequeno embrulho, encontra uma medalha de ouro e uma placa com os dizeres gravados em dourado:

Intenção sem ação é ilusão.

Ouse fazer e o poder lhe será dado.

Deixe sua opinião