Mary Kay divulga pesquisa sobre assédio

Fevereiro é o Mês da Conscientização sobre a Violência em Namoro entre Adolescentes, e os jovens americanos estão pensando no movimento #MeToo (Eu Também)

A Mary Kay compartilhou os resultados de sua pesquisa anual “Truth About Abuse” (Verdade sobre o abuso) revelando que o movimento #MeToo provavelmente contribuiu para que as mulheres jovens – e homens – se sintam mais confortáveis em reportar experiências de assédio. De fato, quase 2 em cada 3 jovens (62%) seriam mais propensos a enfrentar o assédio online do que em 2017. Ainda mais (64%) seria mais suscetível de enfrentar o assédio pessoal em comparação com 2017.

“Os dados sugerem que as normas e expectativas culturais estão mudando em uma direção positiva”, disse Julia Simon, diretora jurídica da Mary Kay. “Os jovens sentem-se mais capacitados para se defenderem sozinhos diante do abuso. No entanto, mais trabalho é necessário para aumentar a conscientização sobre a epidemia de assédio online. A Mary Kay continuará seus esforços de educação e capacitação para jovens até que nenhum abuso seja denunciado”.

Outros destaques positivos da pesquisa incluem:

  • Em comparação com 2017, 70% dos jovens americanos se sentiriam mais à vontade para contar aos pais ou a outros adultos se estivessem sofrendo com o abuso de encontros digitais.
  • Quase 1 em cada 5 (18%) diria a um policial se eles estavam sofrendo abuso de namoro digital, acima dos 14% em 2017.
  • A maioria dos adolescentes e jovens adultos suburbanos (71%) e rurais (64%) se sente mais à vontade para confiar em um adulto sobre abuso digital do que se sentia em 2017.
  • As mulheres (46%) são mais propensas que os homens (38%) a se defenderem contra o assédio online do que em 2017.
  • Mais de dois terços (67%) dos adolescentes e jovens adultos conhecem alguém que sofreu assédio on-line fora de um relacionamento romântico, incluindo alguém que envia fotos indesejadas (41%), compartilhando suas fotos privadas sem consentimento (39%) ou pressionando-os para tirar fotos obscenas de si mesmos (37%).
  • Mais de três quartos (76%) dos adolescentes e jovens adultos conhecem alguém que tenha sofrido abuso de namoro digital, o que inclui comportamentos insalubres, controladores e manipuladores em um relacionamento romântico, realizado ou facilitado por meios digitais.
  • A clara maioria (76%) dos jovens acredita que a mídia social tem sido mais prejudicial do que útil quando se trata de relacionamentos abusivos. Quase 3 em 5 (59%) jovens exageraram o quão feliz ou saudável seu relacionamento era nas redes sociais.

A pesquisa “Truth About Abuse” faz parte da plataforma da Mary Kay, que trabalha para capacitar as mulheres enquanto educa o público sobre o reconhecimento dos sinais de um relacionamento abusivo e como agir. Cerca de 1.000 jovens entre 13 e 24 anos de idade em todo o país participaram da pesquisa como uma representação da população jovem da América. Até o momento, a Mary Kay e a The Mary Kay Foundation doaram U$ 57 milhões para programas de prevenção e conscientização da violência doméstica, em um esforço para acabar com o ciclo de abuso.

Deixe sua opinião