Um mercado de peso

O grande vilão do homem contemporâneo é a balança.

No Brasil, cerca de 30% da população está acima do peso ideal e 1 milhão de pessoas têm obesidade mórbida.

É uma massa espetacular de gente lutando, diariamente, para entrar em forma, o que tem despertado o interesse da indústria farmacêutica e de alimentos, dos hospitais e clínicas de cirurgia plástica, do ramo editorial e até mesmo do turismo.

Acredite, os livros de dieta já aparecem na lista dos mais vendidos e o Brasil é o único lugar do mundo onde as pessoas participam de um cruzeiro marítimo com um único objetivo: malhar.

A obsessão pela forma perfeita está provocando uma revolução de consumo – calcula-se que o mercado de produtos e serviços para emagrecer esteja em torno de R$ 15 bilhões por ano. O Brasil só perde para o país mais rico do mundo, os Estados Unidos, no uso de adoçantes, no número de academias e de lipoaspiração – realizou 200 mil cirurgias do tipo, tem 7 mil academias e consome mais de US$ 190 milhões em adoçantes por ano.

A Marketdata é uma empresa de pesquisa de mercado da indústria de perda de peso dos EUA e desde 1989, uma análise bem como a previsão de todos os 10 principais segmentos do mercado de dieta dos EUA .

“O número de dietas ativas é estimado em 10% desde 2015, para 97 milhões, devido a um crescente movimento de aceitação de tamanho e fadiga diária”, disse o diretor de pesquisa, John LaRosa. “Cerca de 80% tentam perder peso por si mesmos, mas muitos falham, e as últimas estatísticas mostram que os americanos estão ficando mais gordos.”

Enquanto índices do Brasil estão sendo atualizados, veja o número do mercado americano:

A Marketdata estima que o mercado total de perda de peso dos EUA cresceu 2,2% em 2016, de US $ 64,9 bilhões para US $ 66,3 bilhões.

  • O segmento de mercado de perda de peso comercial do mercado foi de US $ 2,77 bilhões em 2016 e deverá crescer 9,4% e chegar a US $ 3,03 bilhões em 2017.
  • Substituições de refeições (shakes e barras de nutrição) estão postando um forte crescimento. As vendas desses produtos superarão o crescimento de pastilhas de dieta. As empresas de MMN como a Herbalife, a Shaklee e a Isagenix, fornecem um canal de distribuição significativo para esses produtos, uma vez que são seguros, portáteis, facilmente acessíveis através de varejistas e de baixo custo.
  • As clínicas e as franquias médicas de perda de peso cresceram em número, enquanto os médicos buscam substituir a renda perdida pelos cuidados gerenciados.
  • As baixas calorias (dietas) a venda têm diminuído há anos, já que os consumidores evitam alimentos altamente processados ​​com ingredientes artificiais. No entanto, produtores como a Stouffer’s (Lean Cuisine) reduziram o crescimento através de novos itens, ingredientes mais naturais e embalagens atraentes.
  • Ao contrário da crença popular, as aplicações de dieta gratuita, como MyFitnessPal, não eram a principal razão para os problemas da empresa de dieta. O uso está diminuindo, e a pesquisa mostra que eles não produzem perda de peso duradoura. Em vez disso, o problema tem sido a falta de programas convincentes.
  • As empresas de dieta americanas procurarão aumentar as receitas ao olhar mercados e nichos inexplorados ou subatendidos, como o mercado masculino, o mercado adolescente, os mercados afro-americanos e hispânicos, o mercado diabético e o mercado de idosos.

 

Deixe sua opinião

Veja Também

A Jafra quer crescer muito no Brasil e a partir de agora A Jafra é uma empresa global, com mais de 60 anos de existência. É uma das mais renomadas empresas de cosméticos do mundo, com produtos de excelente q...
i9Life lança produtos, prepara super evento, faz sorteio e inova no portal A i9 inovou de novo ao colocar em seu site, uma ferramenta para que os empreendedores baixem os rótulos de seus produtos (Vide rótulo no fim desta mat...