Que pressa de crescer e ficar milionário é essa?

Tudo tem seu tempo, mas tem empresa que quer resultados em muito pouco tempo oferecendo planos mega generosos, para atrair multidões.

A própria Amway quando entrou no Brasil, promovia campanhas para os empreendedores gerarem muitos empreendedores, incentivando-os a atingirem metas de patrocínio em muito pouco tempo.

A questão é: como uma pessoa que entra numa empresa agora, pode por exemplo, colocar mais três, quatro ou cinco pessoas no negócio, quando ela própria não está devidamente preparada e qualificada para desenvolver o negócio e patrocinar pessoas que entendem menos ainda?!

Será que as empresas que promovem isso e necessitam deste crescimento rápido, possuem um plano sustentável? Será que possuem visão de longo prazo? Porque querem colocar o máximo de pessoas possíveis no menor espaço de tempo, quando todos abem que a pressa é inimiga da perfeição.

Mais importante que a pressa não é a direção e a dirigibilidade do negócio?!

Não é possível formar, preparar e qualificar um empreendedor em dias ou semanas. Também não se cria crença nas pessoas em tão pouco tempo.

O MMN brasileiro é dominado por uma cultura imediatista, que faz as pessoas que necessitam de dinheiro, acreditar que elas podem obter resultados rápidos, muitas vezes trabalhando pouco, porque a linha ascendente e o sistema de treinamento irá ajudar.

Isso não é 100% verdadeiro.

A empresa americana Chole + Isabel, que vende jóias através do MMN, está promovendo uma revolução ao promover um plano onde os empreendedores só podem recrutar um novo por mês para suas equipes. Por isso o turnover deles é baixo.

Na verdade, as empresas que querem crescer rápido, acabam por obter uma enorme rotatividade de pessoas, das quais muitas se frustram e desistem de empreender, queimando a marca e o próprio segmento de MMN.

Claro que o MMN pode gerar riqueza. Claro que este modelo de negócio é transformador, mas as empresas precisam aprender e precisam implementar, a cultura do Menos é Mais.

Menos pessoas mais qualificadas é melhor do que muitas pessoas perdidas e despreparadas.

Fique atento com essas empresas que promovem campanhas de cadastramento rápido e cuidado com as empresas que dependem de adesão.

Se você ganhar mais dinheiro recrutando do que vendendo e se sua equipe (como você), é muito incentivado pela empresa a trazer pessoas, cuidado. Vale a pena acender a luz amarela ou vermelha neste negócio.

Empresas que possuem planos sem binário e que pagam bem no unilevel, são opções mais justas, equilibradas e seguras.

Sinal verde para a empresa que gera riqueza, sem pressa e com responsabilidade.

 

Claudio Di Lucca

É o CEO da revista Sucesso Network e também deste portal. Possui 30 anos de experiência na indústria de Venda Direta e MMN.

É tido como um dos melhores palestrantes do segmento, além de pesquisador e estudioso dos assuntos que regem o MMN.

Suas palestras estão fazendo enorme sucesso, criando crenças, destruindo as limitações de cada empreendedor,  motivando e fornecendo estratégias e sabedoria para empreendedores.

É o presidente da Abranetwork (Associação Brasileira de Network Marketing) que representa os interesses de mais de 5 milhões de pessoas que trabalham neste segmento no Brasil.

É um dos  maiores defensores de empresas responsáveis e empreendedores profissionais, motivo pelo qual, fundou a UNIVERSIDADE SUCESSO e a TV Sucesso.

Deixe sua opinião

Veja Também

Bortoletto muda estratégia e lança a Lapiduz Mudança na estratégia empresarial da Bortoletto. A partir de agora, o Grupo Lapiduz é quem está comercializando os produtos da empresa.  Cabe a Bortol...
O mundo cor de rosa de Mary Kay. É cor de rosa mesmo? A Mary Kay comemora 55 anos de empoderamento de mulheres empreendedoras por meio de uma oportunidade de negócios flexível. A marca de beleza ...