Como resolver os problemas de logística das empresas

Não é de hoje que a logística é um problema sério no Brasil, principalmente para as empresas de Marketing Multinível, que possuem empreendedores em todos os cantos do país.

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DAS EMPRESAS SÃO:

  • Encontrar fornecedores com qualidade, agilidade, preço e confiabilidade para entrega.
  • Falta de Planejamento, comunicação e de sistema eficiente junto a seus CDs e Franquias
  • Erros no planejamento de Demanda
  • Avarias do produto no transporte
  • Perda/Roubo do produto
  • Destinatário não localizado ou sem ter alguém para receber
  • Ineficiência e falta de competitividade dos Correios e empresas de entregar expressas

Existem dois fatores que influenciam neste processo. As questões tributárias de estado para estado e as estradas e sistema de transportes inter municipais e estaduais.

O QUE OS EMPREENDEDORES MAIS RECLAMAM:

  • Demora nas entregas
  • Demora para a empresa despachar produtos, quando falta um ou mais itens do pedido. (as empresas travam o pedido até ficar completo).
  • Avarias, Perda e Produto entregue errado.
  • Não conseguirem fazer rastreamento dos produtos

AS ENTREGAS NO BRASIL…

  • São feitas através de Caminhões (Intercidades), levadas para a distribuidora e separadas por região de entrega para carros menores entregarem.
  • São feitas por motoboys mediante pagamento as Franquias pela entrega
  • A poderosa FEDEX e TNT são muito mais caras, mais rápidas, mas não possuem a eficiência de entrega de outros países.
  • Grandes Magazines por exemplo, entregam produtos para suas lojas, sempre partindo da sede do centro de distribuição. (Americanas, Casas Bahia, Ponto Frio, Renner, Ricardo Eletro, etc).
  • A Polishop está inovando e criando centros de distribuição nas suas próprias lojas, por todo país, agilizando a entrega e o abastecimento.

JÁ ESTÁ ACONTECENDO NO BRASIL

  • Em fase de testes, algumas empresas de entrega expressa estão se comprometendo a entregar e horas após o pedido, independente do horário.
  • Também em fase de testes, empresas estão conseguindo liberar pedidos mesmo quando falta produto no estoque. Ou seja, liberam o que tem e enviam depois o que faltou, sempre com o consentimento do cliente/empreendedor.
  • Em fase de testes sistema detalhado de rastreamento de pedidos, da compra, a emissão de nota, despacho para distribuidora, localização do pedido e previsão de chegada/entrega.

É muito importante a profissionalização e busca pela excelência no MMN brasileiro.

Deixe seu comentário e sugestão abaixo, mas antes, leia sobre o Problema de Logística num Macro Cenário:

1. ROUBO DE CARGAS

Na atualidade, o roubo de cargas e a constante insegurança das estradas é um dos maiores problemas de logística no Brasil. De fato, os ataques de quadrilhas especializadas aumentam a cada ano, gerando prejuízos consideráveis para o patrimônio das empresas e colocando em risco a vida dos motoristas e demais colaboradores responsáveis pelo transporte de mercadorias.

Para combater esse problema, as empresas devem investir em estratégias preventivas, baseadas no uso de recursos como o monitoramento de cargas e o planejamento de rotas.

O treinamento e capacitação dos motoristas também é importante, sobretudo para que eles possam evitar os horários e os trajetos mais sujeitos à ocorrência de assaltos. Muitas empresas estão investindo na contratação de escolta armada para proteger suas mercadorias, além de procurar a parceria com seguradoras de cargas.

Mas a malha rodoviária brasileira não é um problema apenas devido à insegurança, mas também às más condições das estradas por onde os veículos circulam diariamente.

2. MÁS CONDIÇÕES DAS ESTRADAS

O modal rodoviário é o mais utilizado no país, mas apresenta péssimas condições de conservação: aproximadamente 57% das estradas brasileiras apontam problemas. Isso é resultado do excesso de peso dos veículos, má qualidade asfáltica ou falhas na implementação de melhorias.

Como consequência, o transporte terrestre de cargas apresenta alto custo agregado, impulsionado, ainda, pela lentidão nas entregas, altas taxas de depreciação dos veículos e taxas altíssimas cobradas pelo sistema adotado com as privatizações dos pedágios.

O baixo investimento do poder público na melhoria da malha rodoviária é uma questão bastante antiga quando pensamos nos problemas de logística no Brasil

Em uma primeira análise, as deficiências mais marcantes estão na infraestrutura precária, falhas na pavimentação, buracos, pouca iluminação e sinalização ruim, entre outros déficits.

Consequentemente, essa realidade gera o aumento do tempo necessário para realizar as entregas, causa danos na frota e na carga e contribui para a ocorrência de acidentes, elevando muito os custos logísticos.

A adoção do planejamento estratégico em logística, com o emprego de ações relacionadas à inteligência geográfica, é a solução mais indicada para que as empresas possam vencer o desafio da má condição das rodovias. O fato de alguns trechos destas estradas serem de empresas privadas, que cobram pedágios para manter a manutenção das rodovias, geram um custo adicional mas evita a falta de segurança no trajeto por más condições.

Entretanto, para lidar com os riscos oferecidos pelas estradas, as empresas precisam investir também no emprego adequado da tecnologia, questão que se apresenta como outro grande problema do setor no Brasil.

3. USO INEFICAZ DA TECNOLOGIA ESPECIALIZADA

A automação dos processos logísticos é uma realidade inegável. A cada ano, surgem softwares e aplicativos especialmente desenvolvidos para facilitar as ações relacionadas à gestão de estoque, ao planejamento de rotas e ao rastreamento de mercadorias, entre outras.

Assim, o uso eficaz da tecnologia tornou-se um fator fundamental para o sucesso das empresas, seja qual for o seu porte ou o seu segmento de atuação.

Porém, muitas empresas ainda encontram dificuldades para aproveitar todas as vantagens que as ferramentas digitais podem oferecer, negando a importância da tecnologia no mercado atual.

Paralelamente ao uso ineficaz da tecnologia, a existência de muitos veículos velhos ainda em circulação contribui para ou aumento dos custos logísticos, prejudicando o desenvolvimento das empresas.

4. MÁ QUALIDADE DA FROTA EM CIRCULAÇÃO

Devido à ingerência dos organismos legisladores, a frota de veículos responsáveis pelo transporte de cargas representa um dos maiores problemas de logística no Brasil.

De fato, existem caminhões em circulação há mais de 20 anos. Essa desatualização dos veículos acarreta uma série de outras dificuldades relacionadas tanto à segurança nas estradas quanto à eficácia no cumprimento dos prazos de entrega.

O risco de acidentes com veículos sem manutenção, por exemplo, é muito maior, sem contar com os atrasos e com a exposição da carga a assaltos.

Além de fazer a gestão de frotas de maneira eficiente, garantindo a manutenção dos caminhões, as empresas podem encontrar na terceirização uma solução para evitar os prejuízos relacionados à má qualidade dos veículos. Essa questão está entre os principais problemas gerados pela informalidade do transporte rodoviário no Brasil, conforme vamos explicar a seguir.

5. INFORMALIDADE DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Caminhões em péssimo estado, motoristas despreparados, jornadas de trabalho exaustivas e descumprimento das obrigações legais: esses são apenas alguns dos recortes possíveis da situação na qual se encontra boa parte do transporte rodoviário no Brasil.

Mais uma vez, a ineficácia das autoridades e a insistência de alguns gestores em adotar práticas ruins contribuem para tornar os custos logísticos cada vez mais elevados.

Nessas condições, o risco de acidentes aumenta, acarretando prejuízos ao patrimônio das empresas e colocando a vida das pessoas em risco — quando não morrem, os motoristas e demais vítimas podem acabar com sequelas graves.

Grande parte das empresas justifica tal postura alegando que existe uma burocracia muito grande para realizar o transporte de cargas, além da elevada carga tributária, a qual representa o último dos problemas de logística no Brasil sobre o qual falaremos aqui.

6. CARGA TRIBUTÁRIA ELEVADA

O Brasil é um dos países com maior carga tributária aplicada às operações logísticas no mundo. As taxas e tributos dificultam a redução dos custos logísticos e acarretam fretes cada vez mais altos para as empresas, tornando difícil o crescimento dos negócios e da economia como um todo.

Às empresas, resta a alternativa de realizar um bom planejamento tributário, procurando conhecer bem todas as normas relativas ao transporte e distribuição de cargas. Dessa forma, é possível cumprir as obrigações tributárias ao mesmo tempo que se busca opções para tornar as operações logísticas mais vantajosas, aproveitando os incentivos fiscais.

7. FALTA DE INVESTIMENTO

Em 20 anos o governo investiu apenas 2% do PIB em obras de melhoria na infraestrutura, enquanto países emergentes alocaram 5%. Apesar disso, algumas iniciativas foram implementadas por meio do Plano Nacional de Logística e Transporte e pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Uma solução seria impulsionar o desenvolvimento regional por meio do fortalecimento de empresas e seus processos para obrigar o governo a investir mais na logística no Brasil.

8. DIFERENÇAS EM RELEVOS E TAMANHO CONTINENTAL

A extensão continental do país é um empecilho para o desenvolvimento do setor, principalmente pela dificuldade de acesso a determinadas áreas e relevos distintos, que atrapalham a expansão do modal ferroviário, apontado como uma solução de baixo custo para suprir a falta de um transporte rápido e seguro.

9. ALTOS CUSTOS

Intitulado Custo Brasil, os custos associados às operações logísticas são justificados pelos elevados impostos cobrados na movimentação de carga, como o ICMS no transporte interestadual, por exemplo.

O preço da gasolina, que sofreu 116 reajustes em apenas 1 ano, também é uma grande causa para o aumento do custo de transporte e dificuldades na eficiência do setor no país.

10. EXCESSO DE BUROCRACIA

Comumente evidenciada em aeroportos e portos, a burocracia no desembaraço de papéis e na vistoria de cargas, diminui a eficiência que poderia incrementar a característica de rapidez no modal aéreo e a segurança apresentada pelo marítimo.

Além disso, a concentração do movimento em determinados portos, como o de Santos, junto com uma capacidade de armazenagem deficiente e a falta de equipamentos necessários para movimentação de cargas, acarretam em tempo excedido de atracação e custos adicionais à carga.

11. DÉFICIT NO GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE

O gerenciamento eficaz do setor é pré-requisito para uma logística eficiente. Nesse sentido é preciso:

  • aumentar o grau de profissionalização das transportadoras e profissionais envolvidos, principalmente motoristas;
  • racionalizar a distribuição de mercadoria no veículo;
  • realizar o monitoramento de entregas e roteirização de cargas;
  • investir em inovação;
  • optar pela sustentabilidade e ações de logística reversa.

Soluções para enfrentar os desafios

Se implementadas, a logística no Brasil poderia ser mais eficiente:

  • terceirização de estruturas, como terminais portuários e aeroportos e até de frotas, por exemplo;
  • uso de inovações tecnológicas como aplicativos de rotas e mapas, sistemas de monitoramento e GPS para reduzir gargalos como dificuldades em trânsito;
  • investir na infraestrutura de hidrovias já que no país existem muitas e extensas bacias hidrográficas;
  • uso de drones para transporte de pequenas cargas;
  • implantação da tecnologia Blockchain para conferir transparência no fluxo de comunicação;
  • impulsionar o desenvolvimento regional por meio do fortalecimento de empresas e seus processos que obrigue o governo a investir mais na logística no Brasil.

Apesar de todo esse cenário, o Índice de Eficiência Logística, criado pelo Banco Mundial em 2007, aponta que o Brasil ocupa o 41º lugar num total de 155 países incluídos na pesquisa.

A eficiência na logística no Brasil é indispensável para desenvolver a economia nacional. Mesmo com os gargalos apresentados consumindo cerca de US$ 80 bilhões dos cofres públicos ao ano, 12% do PIB, alguns entraves podem ser facilmente corrigidos.

COMO ESTÁ A LOGÍSTICA DE SUA EMPRESA? COMENTE…

Deixe sua opinião

Veja Também

Royal Prestige pretende crescer muito no Brasil Fundada em 1959 por Peter O. Johnson e com sede em Madison, a Royal Prestige se tornou uma das empresas líderes e inovadoras em vendas diretas e marke...
Organic Peel passa a atuar com MMN. Mais uma empresa brasileira no mercado. A Organic Peel possui uma linha de produtos Home Care com alta concentração de ativos para o desenvolvimento de seus produtos, exigindo alta qualidade...