Natura divulga que terá novos canais de vendas e o Multinível será um deles?

A Natura teve crescimento em todos os canais de vendas que atua, menos em seu principal canal, que é a Venda Direta.

Analisando os números passados, o faturamento atual e as projeções para o futuro, a empresa vai ter que mudar e já divulgou oficialmente, que terá novos canais de vendas nos próximos 5 anos.

Não é novidade nenhuma que a empresa há alguns anos está de olho no segmento de MMN.

Publicidade
abranetwork

Mais do que olhar este segmento, a Natura estuda e se prepara para com sua própria marca, ou com uma sub marca entrar no mercado.

Há tempos se fala que a Natura vai entrar ou adotar o Marketing Multinível, mas a cada dia, essa possibilidade se torna uma realidade.

Se isso acontecer, as empresas de cosméticos, cuidados com o corpo e perfumes, vão sofrer um baque, porque além de forte marca, de uma grande linha de produtos e de um batalhão com mais de 1, 3 milhões de consultoras na rua, a Natura possui inteligência de Marketing, excelente gestão administrativa, executiva, de logística e financeira, além de estar mega capitalizada.

Os mais otimistas acreditam que ela entrará em 2019. Os mais pessimistas em 2020.

Uma possibilidade real, é que a Natura compre uma empresa forte, com produtos que complementem seus Mix.

Enquanto isso, a empresa está negociando com a AMAZON a venda de seus produtos para diversos países do mundo, onde não atua.

É que a Amazon está querendo abocanhar parte dos quase US$ 30 bilhões gastos em produtos e tratamentos de cuidados pessoais no país como maquiagem, tratamentos de cabelo e outros itens de cuidados pessoais, um mercado que fica atrás somente dos Estados Unidos, da China e do Japão.

Em outros mercados, a Amazon se concentrou em produtos de beleza décadas após se estabelecer em segmentos relevantes como eletrônicos, brinquedos e itens domésticos.

Uma parceria com a Amazon aceleraria a abordagem cautelosa das principais empresas brasileiras de cosméticos em relação ao ecommerce, enquanto tentam proteger as margens de lucro e as relações de longa data com tradicionais canais de venda.

A Natura vinha relutando em modificar sua rede de mais de 1,3 milhões de “consultoras” para venda direta, atendo-se a um modelo de negócios iniciado pela Avon Products.

Em 2014, a Natura começou a oferecer aos vendedores independentes ferramentas para permitir compras online, que agora respondem por menos de 4 por cento do total de vendas.

Natura quer e precisa multiplicar sua receita, expandindo-se internacionalmente e desenvolvendo novos canais de venda. Ela quer se tornar mais eficiente, internacional e multicanal. A venda direta, que já foi o único canal de venda da companha, está perdendo espaço para lojas próprias, franquias e vendas online.
Os planos e o futuro dos negócios estão detalhados no seu relatório anual de desempenho, divulgado esta semana. É a primeira vez que a companhia publica os resultados das suas três marcas, Natura, Aesop e The Body Shop, em conjunto.
 

Parte dos planos vem justamente da integração da Natura e Aesop com a The Body Shop, comprada em junho de 2017 e incorporada em setembro do ano passado. Com 9% de suas vendas online e 3.049 lojas físicas espalhadas pelo mundo, a divisão mais internacional do grupo pode ajudar na expansão das outras marcas, diz a Natura.

Com a união das três companhias, o grupo adotou uma nova identidade, a Natura & CO. De acordo com o relatório, a companhia espera, em 2018, “consolidar as bases de nosso grupo e, assim, construir o ambiente para que os negócios ganhem impulso”.

Transformações na Natura

As principais transformações no grupo começam na sua divisão mais antiga, a própria Natura. Em apresentação a analistas e investidores, a companhia disse que a marca estava perdendo ritmo entre 2014 e 2016, por conta das mudanças nos hábitos de compra, novas marcas e novos competidores na venda direta.

Por isso, ela mudou seu modelo de venda direta em 2017, agora chamada de venda por relações. As consultoras têm a possibilidade de se tornarem líderes de equipe e avançar em sua carreira, com novos níveis hierárquicos. A Natura tem 1,7 milhão de consultoras na América Latina.

No ano anterior já havia aberto sua primeira loja física – hoje já são 26 no Brasil, América Latina, Estados Unidos e França.

A marca também está investindo em seu canal digital, que responde por apenas 2% do total de vendas. Um dos caminhos é aumentar o uso do aplicativo Consultoria Natura, que dá acesso a informações sobre sua atividade, incluindo estatísticas de compra e treinamentos à distância.

Cerca de 500 mil consultoras, ou 45% do total, já usam o app e a meta é chegar a 1 milhão de consultoras no ambiente digital até 2019. Também já foram criadas 160 mil lojas virtuais pelas consultoras no portal Rede Natura.

Internacionalização

Com presença em 72 países, a Natura &CO ainda tem bastante espaço para crescer internacionalmente. Isso porque Brasil, Estados Unidos e França são os únicos países nos quais as três marcas do grupo estão presentes.

A The Body Shop é a marca mais internacional, com presença em 68 países. De acordo com a companhia, essa base pode ajudar no crescimento das outras marcas. A expansão internacional tem grande potencial, diz a empresa, já que 66% do mercado em que a TBS está presente é novo para a Natura.

Além disso, também é possível usar a experiência e o conhecimento para ajudar lojas das outras marcas a atingirem o lucro mais rapidamente.

Com os investimentos, transformações e sinergias, a empresa quer multiplicar o seu tamanho.

Nos próximos cinco anos, projeta um crescimento percentual na receita de um dígito, de 11,67 bilhões de reais em 2017 para 17,15 bilhões de reais em 2022.