Canabidiol será a base dos produtos de futuro no Multinível

As empresas de venda direta venderão U$ 300 milhões em produtos relacionados a Canabidiol em 2018, tornando a venda direta o maior canal de distribuição destes produtos.

“O interesse pelo canabidiol (CBD) está rapidamente transformando o cenário de produtos de consumo”, diz Todd Eliason, que conduziu a pesquisa. “As tendências também indicam que as vendas globais diretas de produtos CBD podem ultrapassar U$ 1 bilhão até 2020. Empresas estabelecidas, bem como um número crescente de startups, começaram a anunciar sua entrada no mercado”.

CBD está sendo creditado com uma lista crescente de benefícios para a saúde e, como resultado, empresas de praticamente todos os generos consumíveis, incluindo bebidas, suplementos alimentares, cuidados com a pele e produtos para animais de estimação, estão explorando ativamente os negócios no mercado. Vendedores diretos como Kannaway e Youngevity International estavam entre os primeiros a oferecer produtos CBD.

Simpósio CBD 6 de novembro

As Notícias de Vendas Diretas  explorarão os diversos fatores relacionados ao papel de liderança das empresas de vendas diretas no mercado de CDB em uma próxima edição da revista, bem como no Simpósio de CBD em 6 de novembro.

O que é canabidiol?

O canabidiol, também conhecido por CBD, é um dos princípios ativos da Cannabis sativa, nome científico da maconha. Compõe até 40% dos extratos da planta e pode ser usado como medicamento para diversas doenças, que variam de epilepsia severa a fibromialgia. É uma substância canabinoide (que age nos receptores canabinóides do cérebro).

Visto com desconfiança por ser feito a partir de uma planta ilegal e com efeitos psicoativos, o CBD conquistou espaço na mídia a partir de 2014, quando uma mãe ganhou, na justiça, o direito de importar a substância para o tratamento de sua filha que tinha a síndrome CDKL5, que causa epilepsia grave.

A criança sofria com até 80 crises por semana e os medicamentos não surtiam o efeito desejado. Contudo, o canabidiol praticamente zerou as crises da garota.

Em 2015, a ANVISA retirou o CBD da lista de substâncias ilegais, passando para a lista de substâncias controladas, exigindo receita e laudo médico para a importação.

Alguns métodos podem ser usados para a ingestão do medicamento. Ele pode ser consumido em spray, em óleo ou fumado, mas não há um consenso de qual é mais efetivo. O óleo de CBD é o método mais usado para a administração do medicamento.

Algumas ONGs são autorizadas a produzir o medicamento no Brasil.

Realizar pesquisas com a substância foi ilegal por décadas, assim como com outros compostos da planta. Ainda existem obstáculos legais para a pesquisa com a cannabis, mas aos poucos eles são vencidos por conta de seus efeitos positivos na medicina.

Deixe sua opinião

Veja Também

Eudora cria desafio para grandes artistas e videos viralizaram na rede social A Eudora criou um batom que não sai da boca. Na verdade o batom só sai se a mulher quiser tirar. Neste caso, ela vai aprender a tirar o batom que dura...
Herbalife tem novo CEO como presidente mundial Richard P. Goudis é novo CEO e presidente da Herbalife mundial. Michael O. Johnson assumiu a presidencia executiva do Conselho. Com suas paixões ba...