As famosas festas americanas para vender e patrocinar chegaram ao Brasil

Desde quando a Amway trouxe o MMN para o Brasil, fomos ensinados a não promover festas nas reuniões. Aprendemos que festa não funciona e que elas atrapalham o negócio, a proposta, a oportunidade.

Com o passar do tempo, outras empresas repetiram este conceito e cada vez mais, nos habituamos, internalizamos e nos robotizamos com o modelo de fazer reuniões em casa ou em salões, convidando as pessoas sem falar o nome da empresa, fazendo um mistério tão grande que parecia se tratar de algo mega secreto.

Nestas reuniões, pessoas desavisadas chegam, gostam ou não da proposta. Sentem-se familiarizadas ou não com a oportunidade e sem felizes e otimistas ou desmotivadas e frustradas, com a mensagem de “isso não é pra mim”.

Não estou questionando este formato de atrair pessoas, até porque ele funciona.

Estou chamando atenção para o fato de que os empreendedores de MMN brasileiros estão presos a este modelo onde, convidam-se pessoas para reuniões fazendo de uso de vários bons argumentos; Fazendo uso de estratégias para recrutar pessoas selecionando as mesmas e utilizando técnicas de captação de leads pela internet.

Importante é que todas estas formas funcionam. E muito.

Mas porque será que os empreendedores americanos não fazem mais tanto uso dessas estratégias para gerar pessoas e vendas há muitos anos?

Eu respondo: é porque eles fazem uso de uma estratégia, que nós Brasileiros, fomos convencidos pelos antigo e atual sistema de treinamento a não fazer.

Festas e Eventos sociais. Sim, é isso mesmo!

Cerca de 80% dos patrocínios nos EUA e das grandes vendas, acontecem em reuniões com temas claros e bem divulgados.

Os patrocínios acontecem em festas de negócios, simples, produtivas, acolhedoras e divertidas.

As “festas” não possuem DJs, música alta como estamos acostumados aqui e nem fartura de comida. Funcionam como ponto de encontro, para se gerar network, compartilhar oportunidade e vender produtos.

Acontecem uma vez por semana, quinzenalmente ou mensalmente, e as pessoas gostam tanto, que chamam outras e outras e outras.

É assim, que vendem joias, bijoux, perfumes, produtos de limpeza, cosméticos, nutracêuticos entre tantos outros produtos.

 

No Brasil, as empresas e empreendedores levam pessoas a reuniões para se cadastrarem. Nos EUA, as pessoas vão para conhecer e experimentar os produtos, a partir daí, são envolvidas pelo negócio e se tornam empreendedoras.

 

As “festas” são pontos de encontros, regados a apresentação da oportunidade de forma informal, venda de produtos com interação das pessoas, dicas práticas sobre qualidade de vida, beleza, saúde ou gastronomia, de acordo com o segmento de seu negócio.

Observe que o modelo da Mary Kay se fundamenta em promover seções de beleza, para que as pessoas aprendam auto maquiagem e a ficarem mais belas. É assim, que ganham novas consultoras e clientes apaixonadas pela marca e pelos produtos. E assim o negócio acontece e as consultoras Mary Kay vendem muito. Por isso estão entre as maiores empresas de Vendas Diretas do Mundo.

Não fazem palestras em salões para apresentar o negócio.

Observe que o Espaço de Vida Saudável da Herbalife funciona muito. Pessoas trocam experiências, fazem network, se ajudam, fazem uso dos produtos e fazem negócios.

Já foi época que a Herbalife fazia reuniões em Hotéis para apresentar o negócio, como as empresas ainda fazem hoje.

O fato é que as “festas” podem acontecer na sua casa, na casa de seus amigos, em bibliotecas, em clubes, salões, academias, em playgrounds ou onde você quiser.

Enquanto aqui os sistemas de treinamento ensinam os anfitriões a não servirem lanches, alegando que isso não é duplicável, nos EUA, as pessoas depois das vendas de produtos e do negócio, servem até Martini.

Ninguém fica bêbado. Ninguém perde a linha. As pessoas se sentem “felizes” se sentem bem e irão aguardar o próximo encontro, para fazer negócio, comprar produtos, fazer network, levar amigos e familiares e se divertir.

É muito bom quando você envolve seus empreendedores num “clima” de sucesso e de bem estar.

Da mesma forma, que o mundo não para. Negócios, produtos e pessoas também evoluem.

Avalie esta forma de promover seu crescimento, porque é mais um recurso que você dispõe.

Então… que tal um bazar na sua casa? Que tal uma palestra de nutrição? Que tal uma aula de auto maquiagem? Que tal uma festa para comemorar seu sucesso?

Se estamos 20 anos atrás dos americanos no MMN, que tal, tirarmos essa diferença a partir de agora?

 

Claudio Di Lucca

É o CEO da revista Sucesso Network e também deste portal. Possui 30 anos de experiência na indústria de Venda Direta e MMN.

É tido como um dos melhores palestrantes do segmento, além de pesquisador e estudioso dos assuntos que regem o MMN.

Suas palestras estão fazendo enorme sucesso, criando crenças, destruindo as limitações de cada empreendedor,  motivando e fornecendo estratégias e sabedoria para empreendedores.

É o presidente da Abranetwork (Associação Brasileira de Network Marketing) que representa os interesses de mais de 5 milhões de pessoas que trabalham neste segmento no Brasil.

É um dos  maiores defensores de empresas responsáveis e empreendedores profissionais, motivo pelo qual, fundou a UNIVERSIDADE SUCESSO e a TV Sucesso.

 

 

 

 

 

 

Deixe sua opinião

Veja Também

Presidente da Racco divulga áudio contra boatos O Presidente da Racco, Luis Felipe Rauen, divulgou áudio defendendo os valores éticos que norteiam a empresa, contra boatos que circulam no mercado de...