A Sion ainda não pagou funcionários e fornecedores da Boulevard

Embora esteja correndo em sigilo de Justiça, tudo leva a crer que realmente o Grupo Sion comprou a Boulevard Monde, não pagou e ainda quebrou a empresa.

Relatos de ex-funcionários da empresa, garantem que a SION assumiu a empresa em condições normais de caixa, apenas com uma programação tributária parcelada e cometeu muitos erros de gestão financeira, criando um endividamento gigante.

A Sion dizia para a rede que estava fazendo aportes de capital, quando na verdade, estava usando o dinheiro do próprio caixa.

Alegando dificuldade de mandar dinheiro para o Brasil, o fundador e presidente da empresa Ronaldo Garcia, recebeu um sinal, que acabou sendo utilizado para pagar contas enquanto a empresa resolvia a melhor forma de fazer o aporte internacional.

Na prática, a empresa teve ordem de despejo da sede, não pagou funcionários, não pagou Ronaldo, deixou dívidas com fornecedores e sumiu do Brasil.

Até o momento, não conseguimos confirmar se ficou valores em aberto para empreendedores. Quanto ao prometido parque Kalomai, as obras seguem paradas, em função dos problemas de legalização junto a órgãos governamentais.

Deixe sua opinião